sábado, 10 de agosto de 2019

Resultados da Pesquisa para Espírita 2019



Divulgada nas redes sociais em 06/04/2019 e encerrada em 30/06/2019.

Seu objetivo é identificar as características, modo de pensar, de se comportar dos espíritas e o relacionamento com suas instituições.

É um material para ser lido, analisado e discutido.


Possui diversos dados apurados a partir de uma amostra de espíritas brasileiros. 
Podem servir como indicadores de situações semelhantes que estejam também acontecendo em cada Centro, localidade e região.

Uma vez identificadas semelhanças entre os resultados da pesquisa e a realidade de cada grupo ou instituição, esses indicadores serão úteis para auxiliar o gerenciamento e planejamento de ações preventivas, particularmente das comunicações de reforço e esclarecimento, e até de medidas corretivas de práticas e processos.

Envie suas dúvidas, críticas e sugestões pelo e-mail: franzolim@gmail.com



Clique no ícone a seguir para fazer o download do arquivo em formato pdf, com todos os dados da pesquisa:
 Download Pesquisa 2019
Clique Aqui




domingo, 24 de março de 2019

Reencarnação nos universos paralelos?!


A "teoria dos universos paralelos" ou "multiverso" foi criada a partir das ideias contidas na “Teoria da Relatividade” de Einstein. Vários cientistas trabalharam em seu desenvolvimento, o físico Stephen Hawking trabalhou os últimos 20 anos de sua vida nessa teoria  e apresentou um trabalho sobre ela pouco antes de falecer, endossando sua existência.

O conceito de multiverso tem diferentes entendimentos, mas todos eles encontram oposição no mundo científico e aguardam comprovação. Enquanto isso, podemos fazer um exercício de juntar esse conceito com a reencarnação. Vamos fazer um exercício em duas variantes.

A primeira entende que outros universos existiriam em outras dimensões espaço-tempo com possibilidade de vida igual a da Terra. Uma possível viagem do homem para outro universo se daria através de “buracos negros” ou “buracos de minhoca”, permitindo percorrer distâncias imensas mais rapidamente, afetando a linha do tempo como a conhecemos. O mesmo período de tempo passado na viagem ou mesmo em um universo  paralelo teria um tempo menor do que o vivido na Terra.

O espírito poderia encarnar em outros mundos com a vantagem de poder fazer isso numa relação de tempo diferente. Uma encarnação que duraria 70 anos na Terra, poderia levar (na nossa concepção de tempo) apenas sete anos, por exemplo.

A segunda variante levanta a tese da existência de universos paralelos com possibilidade de viverem simultaneamente os mesmos seres humanos da Terra experimentando a vida a partir de outras decisões do seu livre arbítrio. Isso baseado em nova interpretação do “colapso da função de onda” desenvolvida pelo físico Hugh Everett na década de 1950 e extrapolando para vidas humanas, embora contestado por muitos cientistas.
Extrapolando para o espiritismo, o espírito poderia encarnar simultaneamente (pelo nosso referencial de tempo) em vários universos e testar em cada um deles diferentes decisões do seu livre arbítrio. Sendo possível seria um imenso aprendizado!

Essas novas possibilidades de encarnar dariam oportunidades mais igualitárias a todos os espíritos, o que hoje parecem não existir. Temos quase oito bilhões de habitantes e, segundo Emmanuel no livro Roteiro de 1952, pelo menos “mais de 20 bilhões de almas conscientes desencarnadas”, mantendo-se sem crescimento a mesma quantidade dessa década que representava 8 desencarnados para cada espírito encarnado.

Cálculos aproximados das populações ao longo da história pelo Population Reference Bureau, chegaram a 107 bilhões de pessoas que já viveram na Terra desde 8.000 a.C. Dividindo esse número pelo total de espíritos estimados 28 bilhões (8 bilhões de encarnados + 20 bilhões de desencarnados), chegamos a uma média de 3,8 encarnações para cada espírito! Muito pouco! Insuficiente para justificar nossa evolução!

Para comparar podemos estimar quantas encarnações um espírito poderia ter nos últimos 10 mil anos. No início as encarnações duravam 30 anos, expectativa de vida que foi se ampliando gradativamente. Considerando em média uma encarnação para cada 100 anos, incluindo o tempo na Erraticidade, nesse período, um espírito que tivesse sempre a possibilidade de encarnar poderia ter tido 100 vidas na Terra.

Encarnar em outros planetas implicaria em mudança do fluido cósmico que afetaria a constituição do perispírito, o que, em tese, não aconteceria no multiverso, pois, haveria outras Terras com as mesmas características deste fluido.

Outro ponto a considerar são os relacionamentos. Afinal encarnamos também para melhorar nossas relações pessoais e compromissos morais. Aconteceria da mesma forma que na Terra, quando é feita uma seleção de alguns espíritos para encarnação conjunta, de um conjunto muito maior chamado de “família espiritual”, que poderia ceder mais espíritos para encarnação em outros mundos.


Confirmadas ou não essas teses, o fato é que conhecemos tão pouco do nosso universo e mesmo esse pouco parece ter infinitas possibilidades!

sexta-feira, 1 de março de 2019

Mercado Editorial Espírita 2017

O início desse trabalho foi em 2006, quando notei que, diferentemente de outros segmentos de mercado, não havia informações sobre a produção e venda dos livros espíritas.
A partir de uma amostra dos dados de venda de livros espíritas em 2017, foram calculados e projetados os valores para todo o mercado editorial espírita brasileiro.
A pesquisa não incluiu os livros traduzidos em outros idiomas, braile, áudio book, as produções musicais e em vídeo.
Cada livro foi totalizado somando-se todas as suas formas de edição, como:  bolso, capa dura, espiral, luxo e comemorativos. Foram contabilizados livros de mesmo autor publicados por mais de uma editora.
Foram considerados os livros vendidos pelas editoras e distribuidoras espíritas, caracterizados como espíritas ou de interesse para o espiritismo.
A pesquisa retirou as obras espiritualistas, teosóficas, cristianismo católico, autoajuda, Reiki, filosofias orientais e Umbanda. Foram acrescentadas algumas editoras não espíritas para incluir os livros de autores espíritas por elas editados.
O mercado de livros espíritas está inserido no mercado editorial geral que vive anos de queda de produção e consumo.
Em 2017, o mercado editorial brasileiro viu seu faturamento cair 1,95% e em 2016 tinha reduzido 5,2%. Mesmo assim, as editoras brasileiras venderam 222 milhões e faturaram quase 4 bilhões nas vendas ao mercado. O total de exemplares produzidos caiu 7,94% em 2017.[1] Os livros religiosos, embora com queda, alcançaram mais de 70 milhões de exemplares produzidos.
Estamos falando de um mercado de baixo consumo de livros. De acordo com a Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro – Base 2016, o brasileiro lê pouco, em média 2,43 livros inteiros por ano.
Além disso, é forte o analfabetismo funcional[2], sendo que apenas 12% dos brasileiros conseguem ler e compreender textos simples, que dirá dos textos espíritas de Allan Kardec, Léon Denis, Francisco Cândido Xavier e Divaldo Pereira Franco, entre outros, que usam palavras arcaicas e eruditas.
Os compradores visados para os livros espíritas são os próprios que constituem apenas 2% da população (4,2 milhões) segundo o Censo 2010 e os simpatizantes que não há estatística a respeito e que deve representar três a cinco vezes o contingente dos espíritas (12,6 a 21 milhões de pessoas).
Estamos em minoria no país, e o mercado de livros espíritas é muito reduzido. Os brasileiros evangélicos são dez vezes mais que os espíritas (22,2%), os católicos mais que trinta vezes (64,6%) e os sem religião quatro vezes mais que os espíritas.
Os Censos do IBGE e de outras pesquisas também caracterizam o espírita com mais anos de estudo e com média anual mais elevada de livros lidos que do brasileiro, fator que provavelmente faz a diferença.
Segundo Pesquisa para Espíritas de 2018 realizada com 3926 pessoas de 735 cidades, 34,2% leram entre 3 a 5 livros nos últimos doze meses, 20,5% leram seis a dez livros e 18,7% leram mais que dez livros. Preferem comprar livros novos (64,4%) e compram principalmente nos Centros Espíritas (45,1%) e em Livrarias Espíritas (18,7%). Um pequeno grupo (7,2%) já aparece dando preferência à leitura de livros digitalizados.
A publicação e comercialização de livros espíritas em 2017 teve bom resultado. O número de títulos publicados em onze anos quase foi dobrado, passando de 4.330 em 2006 para 8.407 livros em 2017. Foram identificados 166 títulos repetidos e utilizados por outros autores, o que não deveria ocorrer.
Os livros mediúnicos tiveram uma pequena redução, representavam 40% e em 2006 e 37,9% em 2017. Foram identificados 434 autores médiuns.
A estimativa, baseada em projeções é que o faturamento tenha alcançado pelo menos 73 milhões de reais com 3,3 milhões de livros vendidos.
As editoras consideradas espíritas caíram no mesmo período de 205 para 181. Isso se deve ao encerramento de várias editoras que existiam mais na documentação que de fato. Algumas foram criadas para viabilizarem o sonho de ter um livro publicado.
Os autores de livros espíritas aumentaram 59%. Eram 998 em 2006 e são 1.691 em 2017, considerando-se todos os Autores e Médiuns, descontando-se as sobreposições.

Veja pesquisa completa clicando em:




[1] Realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a pedido da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL).
[2] https://www.bbc.com/portuguese/brasil-46177957

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Resultados da Pesquisa para Espíritas 2018


Quarta edição anual da pesquisa nacional para espíritas
Aplicada de 01/05/2018 até 30/06/2018.
3.926 respostas de 27 estados e 735 cidades.
54 questões para espírita, frequentador, trabalhador e dirigente.

Os resultados integrais estão disponíveis no arquivo pdf abaixo.
Esta pesquisa objetiva proporcionar elementos que auxiliem a gestão das casas espíritas e a gestão da comunicação do conhecimento espírita.
Deve ser aproveitada por todos os espíritas, especialmente os trabalhadores e dirigentes.
Sugestão: forme um grupo na sua casa espírita para estudar como esta pesquisa poderá ser útil.

Clique aqui e faça bom proveito:


Envie suas considerações, críticas e sugestões.

Conheça também os diferentes grupos de espíritas identificados nos respondentes, com a aplicação da técnica de Análise de Clusters:

Análise de Clusters 2018

sábado, 20 de outubro de 2018

Qual é o nosso verdadeiro lugar no Universo?



Desvendando a imensidão da dimensão material. E a espiritual?

A astrofísica diz que conhecemos apenas uma pequena parte do Universo.

Nessa parte existem cerca de dois trilhões de galáxias! Nós moramos na Via Láctea, que é uma galáxia em formato espiral de pequeno porte, com aproximadamente 200 bilhões de estrelas (corpos celestes).

O planeta Terra faz parte do Sistema Solar que é um minúsculo ponto no braço de Órion a 300.000 anos-luz do núcleo da galáxia.

Os últimos estudos apontam para a existência de 40 bilhões de corpos celestes com possibilidade de existir algum tipo de vida, só na Via Láctea.

Tudo isso sem falar na teoria do Multiverso, em que existiriam múltiplos Universos paralelos.
Nosso planeta nasceu há 4,5 bilhões de anos em um Universo que se estima tenha 13,7 bilhões de anos.

O Homo sapiens surgiu há cerca de 200 mil anos e adquiriu o comportamento moderno há cerca de 50 mil anos. As civilizações mais antigas remontam há apenas 10 mil anos! Geneticamente somos apenas 1,6% diferentes do chipanzé. Essa diminuta diferença responde pela inteligência capaz de criar tudo que existe no mundo transformando o modo de viver. E qual será a diferença entre nós e habitantes de outros planetas? Se eles tiverem um DNA bem próximo ao nosso, com igualmente 1,6% de diferença, quão mais inteligentes e poderosos serão?

A população da Terra está em 7,5 bilhões de humanos.

Conclusão: somos sim insignificantes perante o Universo, ou Universos!

Fico feliz, contudo, por ter acesso à filosofia espírita, que afirma a existência de vida em outros planetas e outras dimensões, que diz que tudo é regido por uma força maior que chamamos de Deus. Nascemos simples e ignorantes. Somos um “princípio inteligente” criados com o propósito de progredir e contribuir gradativamente com o próprio Deus, a partir da co-criação em favor do bem geral.

Somos deuses em potencial! Um dia assumiremos a responsabilidade de acompanhar a evolução de um pequenino planeta, com entendemos que Jesus o faça com a Terra.

Para nós espíritas Jesus não é Deus, nem por isso perde sua importância e admiração. Ele é um espírito superior, nosso modelo de comportamento moral, contudo, certamente existem milhões de espíritos superiores a ele com responsabilidades maiores nesse Universo tão imenso.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Pesquisa Nacional para Espíritas – 4ª. Edição 2018


Está lançada em primeiro de maio de 2018 a nova Pesquisa para Espíritas. O encerramento ocorrerá dia 30 de junho.
Seu objetivo é obter dados para subsidiar estudos e direcionar ações de comunicação das instituições espíritas.
Agora com novas questões destinadas a identificar o entendimento e o comportamento dos espíritas divididas em seis sessões: Perguntas sobre você, Dados de qualificação. Sua maneira de entender o espiritismo, Perguntas sobre o Centro Espírita, Perguntas para Frequentadores e Perguntas para Trabalhadores.
As pesquisas anteriores tiveram boa participação e seus resultados estão publicados neste blog.
É muito importante a participação dos espíritas e sua divulgação.
Embora não seja tecnicamente probabilística e se assemelhe mais a uma enquete, inegavelmente seus resultados serão úteis ao Movimento Espírita e abre caminhos para futuras pesquisas científicas.
Para responder a pesquisa você deve clicar no link abaixo que irá abrir um formulário eletrônico do Google.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Nova Edição da Pesquisa para Espíritas


A quarta edição da enquete será lançada dia 1° de maio de 2018. Sua colaboração, colega espírita, será imprescindível para a pesquisa alcançar o resultado que beneficie as instituições do movimento espírita.

As respostas tabuladas servirão para análise de todos e obtenção de informações, sinais e tendências que poderão ser úteis no planejamento de atividades e de ações de comunicação.

Pode ser respondida em até 15 minutos por qualquer espírita, seja iniciante, frequentador, trabalhador e dirigente de instituições espíritas.

A pesquisa de 2018 estará dividida em cinco sessões: Dados de Qualificação, Perguntas sobre você, Sua maneira de entender o espiritismo, Perguntas sobre o Centro Espírita, Perguntas para Trabalhadores.

A partir do dia 30 de abril será divulgado o link para acesso á pesquisa neste blog.

A cada ano são incluídas novas questões e você mesmo pode sugerir perguntas pelo e-mail: ifranzolim@bol.com.br

Não deixe de participar!